Passeio Verde

Mundo de aventuras e natureza selvagem no Arouca Geopark

Cascata da Frecha da Mizarela
Arouca Geopark

São mais de 300 km2 para descobrir, com atividades radicais, experiências únicas e paisagens de cortar a respiração, incluindo a maior cascata de Portugal continental: a Frecha da Mizarela

Gosta de alturas, não tem vertigens e é daqueles que está sempre em busca de uma nova aventura? Em Arouca foi inaugurada no passado mês de abril, não a maior da Península Ibérica, não a maior da Europa, mas a maior ponte pedonal de todo o Mundo!

Vista de longe, a 516 Arouca, assim se chama a ponte, tendo como referência, o comprimento (516 metros), parece apenas um estreito fio de arame. Respire fundo, está 175 metros acima do rio Paiva, que parece correr aos pés dos aventureiros. Ao final do primeiro mês de abertura a ponte já tinha sido visitada por milhares de pessoas, desejosas de experimentar a impressionante sensação que é como que um caminhar no vazio.

Com marcação prévia obrigatória, a 516 Arouca pode ser visitada (a partir de €10), a partir de cada uma das margens. Pode conhecê-la a partir da entrada de Canelas ou da de Alvarenga, sendo permitido o trânsito nos dois sentidos. Com 1,20 de largura tem capacidade para suportar duas mil pessoas em simultâneo. O bilhete dá também acesso à entrada nos Passadiços do Paiva. Atenção que não existe ponto de venda de bilhetes do local, tendo a compra ter de ser feita online, através do site oficial 516Arouca. Localizada no território do Arouca Geopark, esta nova ponte pedonal oferece uma vista única para a Garganta do Paiva e a Cascata das Agueiras, ambas geossítios da UNESCO.

Divulgação

Em simultâneo com a inauguração da 516 Arouca, reabriram também ao público os Passadiços do Paiva (€2), na margem esquerda do rio que lhes dá nome. Mundialmente famosos - foram eleitos mais que uma vez como a Melhor Atração Turística de Aventura do Mundo nos World Travel Awards – estão agora sujeitos a regras de segurança apertadas, mas simples, antes de serem visitados, devido à Covid-19, e que incluem medição da temperatura corporal no local, uso de máscara e embalagem de álcool gel individual.

Cumpridos estes requisitos, fica então preparado para a magnífica aventura que é passear por 8 km de paisagem de uma beleza selvagem impressionante, onde não faltam pontos de interesse dirigidos aos diferentes gostos: desde os que se perdem na simples e pura contemplação da paisagem natural, aos que se interessam pela biodiversidade, podendo aqui encontrar espécies em vias de extinção, ou aos fascinados pela história, que podem testemunhar durante o percurso importantes marcos representativos de uma história milenar.

Este Passeio Verde foi realizado em parceria com Volvo - Carro Oficial Boa Cama Boa Mesa
DR

As águas límpidas do rio Paiva permitem que, no seu leito e nas suas margens, encontre uma riquíssima variedade de animais e plantas típicas de um ecossistema bem preservado. Por outro lado, as suas águas bravas fazem com que o Paiva seja considerado uma das melhores pistas do mundo para a prática de desportos de água radicais como rafting. Se quiser aventurar-se, encontra empresas locais que facilitam a organização desta experiência. Outras incluem escalada, canyoning ou BTT, com bonitos e desafiantes trilhos preparados para a prática.

Numa área de 328 km2 que compõe o Arouca Geopark, estão identificados 41 geossítios. Ou seja, sítios de interesse geológico que se destacam pela sua singularidade e valor, do ponto de vista científico, didático e turístico. De entre estes têm aqui particular destaque as Pedras Parideiras da Castanheira, as Trilobites Gigantes de Canelas e os Icnofósseis do Vale do Paiva.

Divulgação

Outra das grandes atrações da região é a Cascata da Frecha da Mizarela, considerada a maior queda de água de Portugal continental, com 75 metros de altura. Localizada na Serra da Freita, próxima da povoação de Albergaria da Serra, no concelho de Arouca, pode ser apreciada, ao longe, a partir do miradouro junto ao lugar da Castanheira. Mas, o mais aliciante desafio é descer pela vegetação, usando os trilhos existentes, e tocar as águas frias do rio Caima, que ali fogem ao curso natural. Lá em baixo, se decidir pôr-se a caminho, encontra pequenas “piocas” de água (lagos) onde é possível mergulhar e passar a tarde ao sol.

Cascata da Frecha da Mizarela
Arouca Geopark

Para melhor usufruir destas maravilhas da Natureza, foi definida uma Rede de Percursos Pedestres, 13 dos quais são percursos de pequena rota (PR) e um de grande rota (GR), todos devidamente sinalizados. Para os interessados por esta temática, fique também sabendo que o Arouca Geopark integra o Roteiro de Minas e Pontos de Interesse Mineiro e Geológico de Portugal.

Praia Fluvial do Areínho
Arouca Geopark

Para além de todas as apelativas atividades referidas, neste imenso mundo que é o Arouca Geopark, tem também aldeias tradicionais para conhecer. São pelo menos oito (Cabeiros, Cando, Canelas, Drave, Janarde, Meitriz, Paradinha e Tebilhão), onde pode pernoitar e comer. Usufrua também de zonas de puro lazer, como são as zonas balneares e áreas de recreio.

A Zona Balnear do Areínho, na freguesia de Canelas, é uma das favoritas para ir a banhos. Aqui, as rochas acumulam o calor, e ajudam a que as águas límpidas do Paiva rondem uns apetecíveis 20 graus. Esta “praia” tem nadadores-salvadores, bar de apoio com esplanada e infraestruturas.

Como é fácil perceber, para conseguir conhecer e desfrutar de boa parte das maravilhas que o Arouca Geopark guarda, vai precisar de tirar uns bons dias de férias, porque apenas um fim de semana vai certamente saber a (muito) pouco.

Acompanhe o Boa Cama Boa Mesa no Facebook, no Instagram e no Twitter!