Boa Cama, Boa Mesa

Siga-nos

Perfil

Perfil

Boa Vida

Conhecer as Catraias da Estrada Real do Piódão é fazer uma viagem encantadora ao passado

  • 333

Depois da aldeia de Sortelha, os habitantes e visitantes de Piódão vão poder recuar até ao século XIX e viver dois dias de experiências únicas na mais bela “Aldeia Presépio de Portugal. “As Catraias da Estrada Real do Piódão” são o tema do próximo evento do ciclo "12 em Rede-Aldeias em Festa", promovido pelas Aldeias Históricas de Portugal, nos dias 6 e 7 de julho.

Para chegar a Piódão, percorremos as paisagens, de cortar a respiração, da Serra do Açor, passamos caminhos ondulantes que se fundem com a natureza e, por fim, avistamos deslumbrados, a aldeia do Piódão abrigada nos socalcos de uma encosta verdejante.



No século XIX, este percurso era feito por numerosos almocreves, que calcorreavam a Estrada Real, transportando um pouco de tudo, mas com alguma predominância de sal e peixe seco do litoral rumo ao interior (daí esta Estrada Real também ter sido chamada Estrada do Sal) e de carvão feito pelos carvoeiros da Serra da Açor para o litoral. Numa viagem, que tinha tanto de agreste e perigosa como de encantadora, esse transporte era feito com recurso a mulas e carros de bois.



As catraias, abrigos feitos de pedra, serviam de pernoita na longa e difícil Estrada, e eram, muitas vezes, a salvação dos almocreves, que se socorriam daquelas primitivas “áreas de serviço” para comerem uma sopa quente e dormir uma boa noite de sono. Mil e uma estórias e lendas guardam as catraias, lugar de repouso de todo o tipo de viajantes e respetivos animais, que devem ser relembradas e festejadas.

Por isso mesmo, quem visitar o Piódão por estes dias poderá “viver como um almocreve”, viajar no tempo através de várias atividades, teatralizações, atuações musicais e visitas guiadas, e contactar com as estórias das Catraias da Estrada Real do Piódão.

O programa começa pelas 10h00 com uma caminhada pelos socalcos. Segue-se a primeira teatralização, o “Cortejo pelas ruas de Piódão dos viandantes da Estrada Real e suas Catraias”, De seguida, é tempo de “Fotografia à la Minute: A fabulosa máquina de fazer parar o tempo”, por João Paulo Barrinha. Para conhecer o Núcleo Museológico de Piódão está agendada uma visita guiada pelas 11h00, incluindo a inauguração das exposições fotográficas “As Catraias da Estrada Real” e “Piódão uma aldeia de antigamente”. Antes de almoço ouve-se música, com a atuação do grupo Alanos.

O primeiro showcooking do fim de semana acontece pelas 12h00 e é um convite para fazer bôlas de bacalhau e chouriço. Haverá também “barraquinhas” com comidas e bebidas, de acordo com o receituário antigo da região, tendo em vista a época, que se pretende retratar, e considerando os métodos e técnicas de conservação e manuseamento dos produtos de então.

Durante o dia decorrem outras teatralizações a não perder, nomeadamente “Comeres fartos e beberes frescos nas tabernas do largo de Piódão”, pelas 13h00, e “Desacatos entre alguns desordeiros na catraia”, pelas 16h00. Pelo meio música, animação de rua e jogos tradicionais.

O chefe Rui Cerveira, do restaurante o Casteleiro (município de Sabugal) cozinha para todos às 18h00. Pelas 21h00 chega a música com atuação do Grupo de Cordas da Associação Académica de Coimbra e a noite termina a ver “As estrelas do Piódão” com uma observação noturna.

No domingo, uma caminhada com visita guiada dá início ao programa, logo pelas 09h00, sob o tema “Pela Estrada Real até à Catraia das Aguaceiras”.



Para viver aquilo de outra forma seria impossível viver, as teatralizações estão em foco ao longo deste segundo dia , nomeadamente “O Bom acolhimento dos caminhantes e peregrinos”, às 12h00; “Comeres da caça e beberes da pipa nas tabernas do largo de Piódão”, pelas 13h00; “Duelos de sabre e florete entre cavalheiros desavindos por amor de uma taberneira”, às 15h00; “Jogo da bola entre os solteiros e os mal casados”, às 17h00; “Comeres fartos e beberes frescos nas tabernas no largo de Piódão”, às 17h30 e, por fim, pelas 18h00, os “Festejos e Folguedos, Bailias e Folias com Saltimbancos e Histriões”.



O ciclo “12 em rede | Aldeias em Festa 2019” só termina em dezembro. Depois de Piódão, a festa segue para Linhares da Beira, nos dias 12 a 14 de julho; Marialva, de 19 a 21 de julho; Castelo Novo, de 26 a 28 de julho; Castelo Rodrigo, de 6 a 8 de setembro; Castelo Mendo, nos dias 27 e 28 de setembro; Trancoso, de 11 a 13 de outubro; Idanha-a-Velha, de 1 a 3 de novembro; Monsanto, de 8 a 10 de novembro; Almeida, nos dias 29 e 30 de novembro; e Belmonte, de 27 a 30 de dezembro.

Almeida, Belmonte, Castelo Mendo, Castelo Novo, Castelo Rodrigo, Idanha-a-Velha, Linhares da Beira, Marialva, Monsanto, Piódão, Sortelha e Trancoso: as Aldeias Históricas de Portugal, um destino que são 12, são paraísos escondidos que nos levam numa viagem ao tempo de reis e rainhas, épicas batalhas, que determinaram a história como a conhecemos hoje. Viajar até às Aldeias Históricas de Portugal é descobrir a história de um país de temerários conquistadores. Estão garantidos momentos inesquecíveis de aventura e descoberta, temperados com os inigualáveis aromas e sabores da região, que compõem a respetiva gastronomia. No território das Aldeias Históricas de Portugal há um sem fim de trilhos para caminhadas e percursos de bicicleta e BTT – como a Grande Rota 22 (GR), a maior rota de Walking & Cycling em Portugal, com cerca de 600 km. As Aldeias Históricas de Portugal são o primeiro destino em rede – à escala mundial –, e o primeiro destino nacional a receber a certificação Biosphere Destination.

Acompanhe o Boa Cama Boa Mesa no Facebook e no Instagram