Boa Cama, Boa Mesa

Siga-nos

Perfil

Perfil

Boa Vida

Festival do Butelo e das Casulas: Sabor da tradição em Bragança!

Castelo de Bragança
1 / 14

Castelo de Bragança

Museu Ibérico da Máscara e do Traje
2 / 14

Museu Ibérico da Máscara e do Traje

3 / 14

4 / 14

Pelourinho de Bragança
5 / 14

Pelourinho de Bragança

Parque Natural de Montesinho
6 / 14

Parque Natural de Montesinho

Museu Militar de Bragança
7 / 14

Museu Militar de Bragança

Museu Ibérico da Máscara e do Traje
8 / 14

Museu Ibérico da Máscara e do Traje

9 / 14

10 / 14

Centro de Arte Contemporânea
11 / 14

Centro de Arte Contemporânea

Cruzeiro e Igreja da Sé
12 / 14

Cruzeiro e Igreja da Sé

Domus Municipalis
13 / 14

Domus Municipalis

Museu Abade de Bacal
14 / 14

Museu Abade de Bacal

No Nordeste Transmontano, a tradição ainda é o que era e, em Bragança, é tempo de provar o butelo com casulas!

Nesta cidade do alto de Portugal, os enchidos fazem o orgulho da gastronomia regional, e quem a visita não deixa de provar, ou mesmo de trazer para casa, alheiras, salpicão ou presunto, bem como o famoso folar de Bragança que assume posição de destaque por alturas da Páscoa que já se avizinha.

Mas é na época do Carnaval que as famílias brigantinas cumprem a tradição de comer o butelo com casulas, um costume que perdura há muitas gerações. Em si, o butelo é mais do que um exemplo da grande diversidade de produtos típicos produzidos na região. Trata-se de um enchido composto pela bexiga ou pelo bucho do porco recheado de ossinhos do espinhaço e das costelinhas, com alguma carne agarrada, o que lhe dá um aspeto caprichoso e um sabor inigualável. Acompanha com cascas de feijão secas, a que também se chama casulas ou palhada, linguiça, batata cozida e o bom azeite virgem da região, ao que também se pode juntar orelha e pé de porco e grelos.

Um festival de sabores
Já está a ficar com apetite? Então não perca o Festival do Butelo e das Casulas, de 22 a 24 de fevereiro – promovido pela Câmara Municipal de Bragança com o apoio da Confraria do Butelo e da Casula e da empresa Origem Transmontana – e passe por um dos 21 restaurantes aderentes para se deliciar com um belo prato de butelo com casulas! Além disso, durante os dias do festival, poderá assistir à conferência “Da Conservação ao Sabor” com Fátima Moura, às 18h00 do dia 22, testemunhar a entronização de novos confrades na Domus Municipalis, às 10h00 do dia 23, e fazer uma visita guiada a Bragança, no dia 24 de fevereiro. Mas se preferir conhecê-la pelo seu próprio pé, vai ver que não se arrepende, pois descobrirá uma cidade que respira história, tradição e simpatia, rodeada de recantos naturais praticamente intocados pelo homem.

Séculos de história
Erguendo-se altaneira como o seu castelo, orgulhosa dos seus feitos militares na defesa da soberania nacional, Bragança teve a sua origem provável num castro dominado pela tribo Zoelae, sobreviveu à romanização e às lutas entre cristãos e mouros, obteve o seu primeiro foral em 1187 por D. Sancho I e foi finalmente elevada a cidade em 1464 por D. Afonso V, data que se comemora a 20 de fevereiro. Depois de um período áureo até meados do século XVIII, em especial devido à indústria da seda, a cidade passou por um período de relativa estagnação até à década de 80 do século XX, altura em que começou a modernizar-se verdadeiramente. Hoje, a cidade respira desafogada e alheia à interioridade, com investimentos contínuos nas áreas do ambiente, da educação superior, da cultura e do turismo.

Passeio pela cultura e tradição brigantinas
Comece a sua visita pela Praça da Sé, a baixa da cidade por excelência, onde encontrará a Sé Catedral antiga e o Pelourinho da Sé. A partir dali, suba até à ajardinada Avenida João da Cruz, enverede pela zona pedonal e comercial ou embrenhe-se no centro histórico. Também pode passear à beira-rio, passando pelo Jardim António José de Almeida, onde encontrará uma vasta zona de lazer renovada recentemente pelo Projeto Polis.
Pela Rua dos Combatentes da Grande Guerra (mais conhecida por Rua Direita), alcançará o Castelo que se avista lá no alto. Ali, dentro das muralhas, encontrará a Domus Municipalis, o Museu Militar e o Museu Ibérico da Máscara e do Traje, para além de todo um ambiente medieval fantástico! Regresse à baixa pela Rua Abílio Beça e conheça o Museu Abade de Baçal e o Centro de Arte Contemporânea Graça Morais. Pelo caminho, aprecie a arquitetura de inúmeros edifícios históricos e brasonados. Depois, parta à descoberta das artérias mais modernas da cidade, com destaque para a Avenida Sá Carneiro, e deixe-se envolver pela jovialidade dos brigantinos.

Nos arredores da cidade, o Parque Natural de Montesinho é também um dos locais de visita obrigatória, tanto pela sua beleza natural como pela diversidade da sua fauna, com destaque para o lobo ibérico, entre outros animais raros.


De 22 a 24 de fevereiro, não perca o Festival do Butelo e das Casulas em Bragança, aproveite os descontos na estadia e as entradas grátis nos equipamentos culturais da cidade e comprove a excelência da gastronomia e a hospitalidade dos brigantinos num dos 21 restaurantes aderentes.

Restaurantes aderentes ao Festival do Butelo e das Casulas em Bragança:
Restaurante Académico
Casa de Pasto O Copinhos
Restaurante Chefe Ruca
Restaurante Emiclau
Restaurante Lá em Casa
Restaurante Nordeste
Restaurante O Acácio
Restaurante O Geadas
Restaurante O Javali
Restaurante O Manel
Restaurante O Pote
Restaurante Panorama
Restaurante Poças
Restaurante da Pousada de S. Bartolomeu
Restaurante Quinta das Covas
Restaurante Rota dos Sabores - Forte S. João de Deus
Restaurante Solar Bragançano
Taberna do Xastre
Restaurante Típico D. Roberto
Restaurante Tulipa
Restaurante Turismo

Onde dormir em Bragança
Hotel Turismo São Lázaro
Hotel Ibis Bragança
Hotel São José do Nordeste
Pousada de Bragança - São Bartolomeu
Estalagem Turismo
A Lagosta Perdida

 

Acompanhe o escape.pt no Facebook!
*Este texto foi escrito nos termos do novo acordo ortográfico.