Boa Mesa

Não há arraiais, mas há sardinhas nestes restaurantes nos bairros típicos de Lisboa

As restrições impedem que a festa dedicada a Santo António se faça nas ruas dos mais típicos bairros de Lisboa. Mas, mesmo sem arraiais, a sardinha está pronta a assar...

Pelo segundo ano, o cheiro a fumo misturado com o aroma das sardinhas a alourarem no carvão vai ser muito mais discreto do que a memória nos recorda. Mais ainda nos bairros típicos, onde as festas dedicadas a Santo António, duravam até ao nascer do sol. Dentro das limitações impostas pelas autoridades, a festa vai-se fazer à mesa, de forma controlada e com hora de término, às 22h30, sendo que a maior parte dos restaurantes vão ter sardinhas e caldo verde na ementa. Siga este roteiro do Boa Cama Boa Mesa e descubra sete restaurantes onde, apesar de não haver festa popular, a sardinha não vai faltar na noite de Santo António.

Páteo 13
Em pleno Bairro de Alfama, um dos locais mais concorridos da noite de Santo António, o restaurante tem, em tempos de pandemia, apenas 80 lugares, que vão ser distribuídos por ordem de chegada. Mesmo com regras adversas à celebração, o aroma da sardinha acabada de assar vai espalhar-se pelo ar do Páteo 13, e do grelhador saltam sempre cinco para a travessa, completando a dose (€7,50) a batata cozida com pele. A salada, completa, é à parte, e há ainda febras, entremeada e caldo verde sempre a sair.
Calçadinha de Santo Estêvão, 13. Lisboa. Tel. 210503434

Varina da Madragoa
Uma das mais tradicionais tabernas deste popular bairro de Lisboa estendeu-se para fora de portas e vai perfumar o ar das redondezas com o aroma da sardinha a dourar na brasa. Cada dose tem seis exemplares, mas inclui a batata cozida e a salada tradicional, com os pimentos bem assados e temperados (€12,50). O caldo verde da Varina da Madragoa, que já alcançou fama internacional e não sai da ementa ao longo do ano, também está disponível nestes dias de santos populares. E se alguém quiser uma sardinha numa fatia de pão, garantem, não vão deixar de a servir.
Rua das Madres, 34, Lisboa. Tel. 213965533

Tasca do Jaime
Nos dias de romaria, não cabia um alfinete nesta tasca, uma das mais concorridas do Bairro da Graça, com mais de 30 anos de tradição. Hoje as regras são outras, mas não vai faltar sardinha para ninguém. Na esplanada da Tasca do Jaime há 15 lugares à disposição e a sardinha é vendida à dose, com quatro unidades (€9) devidamente acompanhadas pela batata e pela salada, com alface, cebola e pimentos assados, regados com bom azeite. Para que a noite tenha sabor a festa, há ainda caracóis, moelas e chouriço para partilhar.
Rua da Graça, 91, Lisboa. Tel. 218881560

Zé da Mouraria
Cada dose apresenta 12 sardinhas (€16,50), mas há sempre uma ou duas a mais, para estômagos mais difíceis de satisfazer. Vão indo poucas de cada vez para a mesa, para estarem sempre quentinhas, acompanhadas com batata cozida com pele e pela salada com alface, tomate, pimento e cebola (€16,50). Não falta, no restaurante Zé da Mouraria, o bacalhau, em posta generosa, com grão, batata a murro, couve salteada e pimentos assados. Aliás, o bacalhau, vindo da Islândia, é o prato mais emblemático da casa a ponto de, por mês, servirem cerca de duas toneladas do “fiel amigo”.
Rua João do Outeiro, 24, Lisboa. Tel. 218865436

O Caldo Verde
As mesas corridas, onde cabem entre 20 a 30 pessoas, estão prontas para receber os clientes ávidos de uma dose de sardinhas assadas em ambiente de festa e como manda a tradição. Num dos mais animados bairros alfacinhas, a Madragoa, cada dose (€10) é servida com cinco ou seis sardinhas, depende do tamanho. A salada é à parte, mas completa, como se quer neste dia (€4,50). Para evitar confusões a ementa do restaurante O Caldo Verde é reduzida, havendo como alternativas as febras, os filetes de pescada e a posta à mirandesa. Como o nome do restaurante indica, não falta, para terminar ou começar as festividades, o famoso caldo verde (€3), com duas ou três rodelas de chouriça.
Rua da Esperança, 91, Lisboa. Tel. 213903581

O Tachadas
Este ano não há esplanada, mas não será por essa razão que as sardinhas vão deixar de saltar na brasa. A dose com meia dúzia custa €8,50 e já inclui batatas cozidas com pele e salada estão. Sendo O Tachadas um restaurante conhecido pela mão certeira do responsável pelo grelhador, logo ao lado vão estar, até às 22h30, febras e entremeada. Não irá faltar nem broa, nem o incontornável caldo verde com a chouriça às rodelas.
Rua da Esperança, 178, Lisboa. Tel. 213976689

Tasca do Gordo
O terraço é o lugar mais apetecível nestas noites já quentes, e se em anos anteriores, havia arraial, por estes dias conte, ainda assim, com decoração, manjericos e sardinha a pingar para o pão após passar pela brasa. Cada dose, na Tasca do Gordo, apresenta meia dúzia de sardinhas (€8,60) e não vai faltar o caldo verde com a também tradicional rodela de chouriço. Quem não for adepto da sardinha pode contar com outros peixes na brasa, carnes grelhadas e uma lista infindável de petiscos tradicionais.
Rua Cordoeiros a Pedrouços, 33, Lisboa. Tel. 213012184

Acompanhe o Boa Cama Boa Mesa no Facebook, no Instagram e no Twitter!