Boa Mesa

O produto português, a técnica francesa e a vista para o mar no Albatroz em Cascais

Hotel Albatroz

Os peixes e os mariscos protagonizam as sugestões do dia. Acrescem as novidades da carta em função da matéria-prima da estação. Tudo é selecionado com minúcia, trabalhado com a destreza de um cirurgião e apresentado com a arte de um mestre à mesa do restaurante de fine dining do Hotel Albatroz

À mesa da sala do restaurante do Hotel Albatroz sobranceiro ao mar de Cascais, partilham-se os melhores produtos nacionais, com a técnica francesa de Frédéric Breitenbucher e vista única para o Atlântico. O trabalho, quase silencioso devido às consequências da pandemia para a restauração e hotelaria, tem vindo a evoluir desde março de 2020, altura em que o chef francês assumiu a responsabilidade de liderar a cozinha deste icónico hotel. O desafio é elevar a experiência gastronómica em tão elegante casa.

Hotel Albatroz
Andre Vicente Goncalves

As novidades da cozinha assim o comprovam. Há Vieiras marinadas, abacate, gelatina de manga e gengibre, flor de gelo (€24), para refrescar o palato no início da refeição, e Meio lavagante azul salteado, ruibarbo, alcachofras e espargos verdes (€38). Nos pratos vegetarianos, as boas novas recaem nas Morchellas e legumes de primavera, gema de ovo sobre um sablé com parmesão (€33), e nos peixes consta a Raia, tamboril e carabineiro, alcachofras e espargos verdes acompanhados de risotto de bivalves e limão confit, emulsão de bivalves e manjericão (€35), dupla recomendada para aprofundar os prazeres epicuristas. Todos atestam, entre as demais estreias da carta, a criatividade do chef e a sua sensibilidade para a conjugação de sabores em cada prato.

Andre Vicente Goncalves

Os produtos são selecionados a dedo, seja na origem, seja na qualidade. É de envidenciar os hortícolas cuja proveniência é, maioritariamente, da horta biológica da Quinta do Pisão, no Parque Natural Sintra-Cascais, projecto com o qual Frédéric Breitenbucher tem vindo a trabalhar. “É uma cozinha de base tradicional, de técnica francesa, inspirada nos sabores da cozinha portuguesa e com um empratamento moderno”, resume o chef, para quem a louça é muito importante, sendo o próprio restaurante uma mise en scène. “Depois, é preciso ter muita imaginação”, motivação crescente pela experiência cultural que o chef francês soma, há duas décadas, só no nosso país.

The Albatroz Restaurant
Andre Vicente Goncalves

De volta à ementa do restaurante do Hotel Albatroz, percorra as sugestões inscritas na lista das entradas, com destaque para os clássicos no que à harmonização de sabores diz respeito, como o Foie gras de pato, maçã verde e pão de especiarias com gelatina ao Vinho do Porto (€21), ou de despertar a curiosidade das papilas gustativas, como as Pétalas de bacalhau e muxama algarvia, broa de milho, caldos de bivalves e coentros (€18). Nas sopas é de salientar outro prato intemporal: Sopa de peixe coentros e massa caseira (€16).

Lavagante azul salteado, areia de Cascais com parmesão e espelette, toranja e vegetais (€66) é outra das propostas do chef Frédéric Breitenbucher relacionadas com o mar e apresentadas com elegância, bem como o Pregado salteado, pedras ervilhas, espargos brancos, morechellas recheadas com foie gras, cromesqui trufado e jus de aves trufado (€37).

Já da terra, é de salientar o Cabrito da serra cozinhado a baixa temperatura, favas e painho alentejano, cromesqui de batata e pimenta espelette (€28) ou o seriamente aconselhável Lombo e secretos de porco preto, gnocchi de queijo, cogumelos e papada, ervilhas e cebolas novas e jus assado (€29), sem esquecer o Pthitivier de bochehas de vitela, refogado de cenouras e cogumelos (€25).

Ruibarbo, biscuit de pistache, gelado de ruibabarbo (€12), Sopa de morango e sorvete de poejo (€12) ou Farófias invertidas e baunilha (€12) são algumas das sobremesas elaboradas com desvelo por Paulo Pereira, chef pasteleiro do restaurante do Hotel Albatroz, que estabelece um fio condutor em relação ao trabalho elaborado, com glamour e rigor, por Frédéric Breitenbucher.

Hotel Albatroz

Carta diária à parte, é de espreitar o Menu da Estação (€66) e o Menu de Degustação (€86) disponíveis das 19h00 até às 21h30, no Hotel Albatroz (Rua Frederico Arouca, 100, Cascais. Tel. 214847380), e acompanhados com a respetiva sugestão de harmonização vínica, contando que esta casa reúne 120 referências de vinhos. O horário de funcionamento do restaurante é das 12h00 às 15h00 e das 19h00 às 22h00. A alternativa é a esplanada do restaurante, com horário das 12h00 às 22h30 e uma panorâmica singular sobre o oceano, para refeições mais ligeiras, em que não faltam os peixes e os mariscos do dia, e o “Chá da Tarde” (€21 por pessoa, para um mínimo duas), disponível das 16h00 às 18h00, para desfrutar na companhia de uma das mais belas vistas da vila de Cascais, ou o take-away e delivery, a manter e, quem sabe, a ter o chef Frédéric Breitenbucher a fazer a entrega em mãos na sua casa.

Joao Trindade

Acompanhe o Boa Cama Boa Mesa no Facebook, no Instagram e no Twitter!