Boa Mesa

Adega, restaurante, bar e galeria: bem-vindo à loucura de Howard’s Folly

Rodrigo Simões Cardoso

Estremoz já fazia parte das principais rotas gastronómicas do Alentejo. Agora, os vinhos e a comida fundem-se num admirável mundo novo, onde não falta uma saudável e prazenteira loucura, no inesperado projeto Howard's Folly, que conta com um restaurante inaugurado em 2020.

Dora Troncão

Jornalista

Visitar Estremoz significa, claro, provar gastronomia de primeira, algo a que a cidade já nos vem habituando em vários restaurantes, conhecer uma grande variedade de ótimas adegas, mas, agora, também inclui o ter acesso a uma oferta cultural de relevo.

Howard Bilton, consultor na área financeira do Sovereign Group e criador da fundação para as artes com o mesmo nome, dá apoio a novos talentos um pouco por todo o mundo, incluindo Portugal, mas sobretudo na Ásia, onde reside. Bilton visitava Portugal com frequência em trabalho e já tinha contacto com os vinhos portugueses. Quando provou os vinhos do Esporão quis conhecer o enólogo, David Baverstock, com quem viria a criar os vinhos com a marca Howard’s Folly, começando por comprar uvas em Portalegre e produzir o vinho nas adegas da região.

Howards Folly

Em 2018 surgiu a oportunidade de adquirir o edifício do antigo Grémio de Estremoz, situado no local onde ficava a linha férrea para Lisboa e onde outrora se chegaram a guardar cereais, um lugar idílico para instalar uma adega urbana, hoje visitável. Objeto de intervenções artísticas, como seria de esperar por parte de um art lover como o proprietário, exibe, por exemplo, um mural do português Le Funky junto à máquina de seleção de uvas. Uma das vantagens de uma adega urbana é proporcionar aos visitantes mais um ponto de interesse na cidade. Com esta localização, fazia todo o sentido abrir um restaurante e é assim que nasce The Folly como algo que tinha de acontecer naquele espaço. Dada a ligação às artes e ao mecenato por parte do proprietário, no primeiro piso do restaurante foi criada uma Galeria onde acontecem exposições temporárias.

Howards Folly

Aberto em 2020, The Folly conta com um projeto de design do Arkstudio, apresenta um bar com um balcão de cerca de uma dezena de metros e uma garrafeira estrategicamente iluminada que preenche a parede de frente e serve para alegrar os olhos de quem por ali petisca. The Folly oferece uma carta de cocktails para um final de tarde ao sabor de um Negroni ou um Mojito, mas também para um aperitivo antes da refeição na zona de estar ou esplanada interior. As esculturas da Pigs Parade de 2019, ano em que se comemorava o Ano do Porco na Ásia, viajaram até ao Alentejo com Bilton para pontuar o espaço com reproduções do bácoro ao jeito pop art.

Howards Folly

O ideal será aproveitar o todo, ou seja, almoçar pelo restaurante e conhecer a cozinha do chef Hugo Bernardo, dar um salto à Galeria e fazer culminar o programa com um tour com prova na adega (€15). É possível optar por diferentes provas, que podem ser acompanhadas de petiscos preparados pelo chef.

O restaurante The Folly apresenta uma cozinha de índole regional com o toque de irreverência de Hugo Bernardo. Formado em gestão hoteleira, trabalhou vários anos na direção de hotéis, teve restaurante próprio em Oeiras e depois de passar por vários projetos muda de vida e chega a Estremoz e à cozinha do restaurante da adega Howard’s Folly, a “folia/loucura” do Howard Bilton, nome que descreve a paixão do proprietário pelos vinhos e pelas artes.

Howards Folly

Do Menu de Degustação Alentejo (€50) constam as Azeitonas, explosivas, feitas de cacau com emulsão de azeitona verde e laranja de Estremoz, assim como Gaspacho 2.0, uma reinterpretação do prato alentejano com texturas várias e um “tomate surpresa”, o Bacalhau Elvas 1947!, com folha de ouro, batata palha e gema, além do Montado, um Lombinho de porco com molho de vinho tinto e a Encharcada com carpaccio de abacaxi e sorbet de framboesa.

Outras sugestões que já se tornaram bestsellers da casa e que fazem parte do menu de esplanada são o Hambúrguer de borrego servido em pão brioche com molho de menta, jalapeños e queijo derretido (€19) e o Camarão enrolado em massa kataifi, molho de menta, servido sobre folha de arroz (€18). Destaque ainda para uma Tarte de limão, merengue, pó de azeitona e gelado de mel e água mel (€6,50).

A sazonalidade, mas sobretudo a criatividade e conhecimento dos produtos por parte do chef ditam por vezes surpresas, que não constam da carta, como a Papada de porco com enchidos e óleo de chouriço, elaborada com produtos da Salsicharia Canense da D. Otávia.

Howard's Folly

É possível fazer o casamento com os vinhos Howard’s Folly (€25 ou €50) juntamente com o menu de degustação. Mas porque não começar por provar o trio de Sonhador, o novo rosé, passar depois para o branco e, claro, para o tinto. Os rótulos são desenhados por crianças que passaram por situações traumáticas e que a Sovereign Art Foundation procura ajudar através do ensino das artes. Parte das vendas dos vinhos revertem para a Fundação. Para finalizar, uma edição limitada de vinho Carcavelos, colheita de 1991 da adega da Quinta dos Pesos, Caparide, São Domingos de Rana.

Howards Folly

A criação de um espaço cultural como o Howard’s Folly (Rua General Norton de Matos, Estremoz. Tel. 268332172), multifuncional, que contemplas as vertentes do lazer e do prazer, será provavelmente, depois da inauguração do imperdível Museu do Azulejo de Joe Berardo, um passo decisivo para fazer de Estremoz um hub para as artes e um destino cool no Alentejo.

Acompanhe o Boa Cama Boa Mesa no Facebook, no Instagram e no Twitter!