Boa Mesa

Renascer das cinzas: Restaurante Estaminé, na ilha Deserta, reabre em julho

José Vargas
Conceição Ribeiro/SIC

Depois de ter sido dizimado pelo fogo na noite de terça-feira e do choque inicial, o conhecido restaurante da ilha Deserta quer renascer rapidamente das cinzas. A reconstrução já começou a ser planeada e José Vargas, o proprietário, acredita que ainda vai abrir portas este verão

É uma noite que nunca mais se esquece”, diz José Vargas, com a voz ainda embargada pela emoção, ao recordar o incêndio que, horas antes, reduziu, literalmente a cinzas, o restaurante Estaminé, na Ilha Deserta, em Faro, e de que é proprietário. Mas em vez de lamentos, as chamas deram origem a uma “enorme força de vontade de reconstruir o espaço para que, em julho, já possa receber clientes”. Foi um duro golpe, assume José Vargas, que desde janeiro estava a aproveitar o confinamento para fazer obras de manutenção e remodelação para a nova temporada de verão.

Mal o sol nasceu, José Vargas, acompanhado pelo presidente da Câmara de Faro, Rogério Bacalhau, dirigiu-se ao local e começou de imediato a planear a reconstrução. Do autarca recebeu a garantia de “toda a disponibilidade para agilizar o processo” considerando a destruição do restaurante Estaminé como uma grande perda para o turismo do Algarve e para o concelho de Faro.

Conceição Ribeiro/SIC

No dia do grande incêndio tinham acabado de fazer algumas pinturas e melhoramentos no local, recorda o proprietário. Agora é preciso começar do zero e, usando um termo náutico, José Vargas espera que “o vento corra de feição” e se “ultrapasse a parte mais difícil, a da burocracia, para começar a reconstruir”. Outra das dificuldades, garante, é a de “encontrar materiais, uma vez que, devido ao confinamento, muitas empresas ou estão fechadas ou não têm stock, nomeadamente de madeiras, para reerguer o restaurante”.

José Vargas
Conceição Ribeiro/SIC

Mas José Vargas deixa uma garantia: “o Estaminé vai renascer das cinzas, se tudo correr como previsto, em julho, exatamente igual ao que lá estava antes das chamas o terem destruído”. Além do negócio, estão em causa 28 postos de trabalho e, recorda, “um ano que, devido à pandemia, já estava praticamente perdido”. Presença constante na seleção de melhores restaurantes nacionais do guia Boa Cama Boa Mesa, o Estaminé integra o projeto Animaris, que inclui passeios de barco na Ria Formosa e outras experiências associadas ao turismo de natureza.

O restaurante em chamas
Jorge Rico

O alerta do incêndio foi dado às 22h45, com as chamas a serem visíveis a quilómetros de distância, mas os trabalhos foram dificultados devido ao facto do acesso à ilha se fazer apenas de barco (Veja AQUI a reportagem da SIC Notícias). Totalmente construído em madeira, o Estaminé era um dos restaurantes de praia de referência no Algarve. Em 2014 foi peça central numa reportagem do programa Boa Cama Boa Mesa na SIC Notícias.

Estaminé

Acompanhe o Boa Cama Boa Mesa no Facebook, no Instagram e no Twitter!