Boa Cama, Boa Mesa

Siga-nos

Perfil

Perfil

Boa Mesa

Oito novos restaurantes, em Lisboa e no Porto, que deve conhecer em 2020

Ano novo, vida nova e… restaurantes novos para conhecer. Com o início de 2020 é tempo de deitar as mãos à agenda e partir à descoberta de novos restaurantes para começar de forma saborosa o ano que agora começa. Estes oito, apenas das cidades de Lisboa e do Porto, ainda cheiram a tinta de tão novos e prontos para surpreender. E prometem marcar o ano em termos gastronómicos, seja pela simplicidade de sabores, pela criatividade dos chefes, seja pelas localizações onde abriram portas, em locais emblemáticos destas duas cidades. Siga estas sugestões do Boa Cama Boa Mesa e entre em 2020 cheio de sabores, de texturas e de criatividade gastronómica.

Selllva
O novo conceito do Grupo Capricciosa abre portas, oficialmente, dia 6 de janeiro, mas já recebe clientes num registo soft opening, para testar fórmulas e afinar o conceito. A carta do restaurante Sellva representa um mapa e pretende levar, em cada secção, o cliente a um ponto diferente do mundo, sempre com a sustentabilidade como princípio. Aparenta ser um restaurante vegetariano, mas abre espaço, na cozinha, à carne e ao peixe, tudo servido de forma elegante e sofisticada. Não há fritos, nem glúten, nem produtos processados, apostando no saudável, seja de que latitude for. Há Crepes Vietnamitas com molho asiático (€5), Frango Assado com feijão preto e creme de abacate com ovo estrelado e arroz integral (€12) e um Hambúrguer beyound meat, com queijo Gouda, emulsão de kimchi, cebola, pickles, alface e Brioche de batata-doce (€11). Abre a partir das 08h00 para servir o pequeno-almoço e só encerra às 24h00. A carta de vinhos foi desenhada por Rodolfo Tristão, o escanção que até há bem pouco tempo era responsável pelos vinhos do premiado Belcanto.
Rua Mouzinho da Silveira, 32, Lisboa. Tel. 215998814

Plano Restaurante
Finalmente, estreia-se entre quatro paredes Vitor Adão, depois de um verão em regime de soft opening nos jardins do Dona Graça, uma unidade hoteleira no Bairro da Graça. E diz-se finalmente, porque faz sempre falta um cozinheiro de mão cheia, que não renega a portugalidade, nem os sabores genuínos de cada um dos produtos que tão bem trata na cozinha. Com um pequeno menu de mercado, sujeito às estações e aos ciclos das colheitas, recomenda-se o menu de degustação (€60) a que acrescem €40 caso opte por uma harmonização com sumos, vinhos, cocktails, ou bebidas fermentadas. Para memória futura da oferta do Plano Restaurante fica o indescritível rissol de berbigão com picante Mondega, a viciante couve-flor com cominhos, e a inacreditável mão de vaca com grão e alho francês queimado.
Rua da Bela Vista à Graça, 126, Lisboa. Tel. 913170487

O Boteco
No coração do Chiado, a última aventura do mediático chefe Kiko Martins traz os tradicionais botecos brasileiros até à capital - Comida de partilha, sabores originais do Brasil e um espaço elegante, bem decorado, onde pontifica uma favela nascida num barco, da autoria do artista plástico Bordalo II, são o segredo que o chefe quer partilhar com toda a gente, com um espaço de bar que começa a ser o principio de muitas noites no Bairro Alto em Lisboa. No interior do restaurante O Boteco observe bem o grande lustre, feito com garrafas verdes, da autoria do irmão do chefe, António Martins, arquiteto em São Francisco, na Califórnia, e prepare-se para um verdadeiro “Samba” de sabor. Provaram-se os croquetes de feijoada, recheados com as carnes da feijoada e feijão-preto (€6,40) e o surpreendente escondidinho, que é uma espécie de um empadão, com pernil estufado a baixa temperatura (€19,20), e terminou-se com um quindim. Para visitas futuras, que se impõem, há para apreciar o clássico pastel de vento, recheado com queijo de coalho (€5,40), salsichas de churrasco com farofa (€3,90) e claro, a feijoada à brasileira (€16,70).
Praça Luís de Camões, 37, Lisboa.

FOGO
O nome do restaurante é autoexplicativo e representa a última aposta de Alexandre Silva, na capital. No restaurante FOGO é tudo cozinhado com lenha, seja no forno, na grelha, no espeto ou num tacho de 80 kg, e têm também o fumo como ingrediente comum. E se a ignição é sempre a mesma, o limite é apenas a imaginação do chefe e da sua equipa, onde se destacam o chefe residente Manuel Liebaut e o sous-chef Ronald Sim, que vem do Burnt Ends, considerado o melhor restaurante de fogo do mundo. Nas entradas há Salada de alho francês na brasa e citrinos da época (€6), Chicharro dos Açores e escabeche na brasa (€8) e Asas de frango e tangerina (€8). Nos principais, conte com Raia na grelha com molho de manteiga e alho (€17), Sapateira no carvão com alho e ervas (€30) e ainda com Vazia de vaca Frísia com estufado de feijão e salada (€48). Não deixe de provar os cocktails, a cargo de João Bruno, em especial o Gin fizz de carvão. A garrafeira apresenta 180 referências de vinhos, todos de produção nacional, muitos deles naturais, biodinâmicos ou biológicos.
Avenida Elias Garcia, 57, Lisboa. Tel. 217970052

Eneko Lisboa e Basque
São, respetivamente, o sexto e sétimo espaço do chefe espanhol Eneko Atxa, que tem outros restaurantes no País Basco, em Londres e em Tóquio. No Eneko Lisboa traz para Lisboa a filosofia do Azurmendi, mais fine dining, com nuances locais, com uma clara aposta nos produtos portugueses. Já no Basque a ideia é recriar o ambiente de uma tasca basca, com pratos para partilhar. Sugere-se, no Eneko Lisboa, um dos dois menus de degustação, o ERROAK, ou o ADARRAK (preço sob-consulta), onde encontra propostas como Camarões da costa, gel vegetal e granizado de tomate “velho”, Lavagante assado e descascado, molho, manteiga de café e cebola roxa de Zalla ou ainda “Castañeta” de porco Ibérico, bombons de queijo Idiazabal e caldo de cogumelos montado. A curiosidade maior é que os espaços de Eneko ocupam o mítico Alcântara Café.
Rua Maria Luisa Holstein, 15, Lisboa. Tel. 912 411 863

MESCLA
Quem não sonha com viagens a destinos longínquos e exóticos? Em frente à Casa do Infante, na Ribeira, o MESCLA transporta-nos para esse universo colorido e exuberante dos países quentes. Neste caso, os descobertos por portugueses que se fizeram ao mar para encontrarem culturas tão díspares como a japonesa, a moçambicana ou a indiana. Com várias origens, os pratos revelam-se mais ou menos familiares - também há sabores portugueses - mas vivem sempre da viagem, nem que seja apenas à mesa. Dividido em três espaços distintos, na decoração podem conviver mais de cem pessoas. Ainda assim consegue oferecer recantos mais íntimos e uma mesa comunitária, além de vista privilegiada para a cozinha. Comece com um cocktail de autor no bar e não deixe de provar a “Cavala no carvão” (€7), a “Muxama de atum” (€9), as “Moelinhas Vandaloo” (€5) ou a “Tempura de bacalhau” (€18).
Rua da Alfândega, 15, Porto. Tel. 220990671

Atrevo
Foi apenas há alguns meses que Tânia Durão ganhou atrevimento q.b. para, depois de trabalhar em restaurantes do Porto como o DOP ou o Cantinho do Avillez, se instalar em nome próprio na casa que foi de Pedro Limão, junto ao Jardim de São Lázaro. A sua cozinha experimental e cativante do restaurante Atrevo revela-se num menu de degustação de oito momentos, atento às estações, aos ingredientes biológicos e de pequenos produtores. Nesta altura mais forte em abordagens como a da “Vieira, Amêijoa e Bulhão Pato”, “Robalo, lula e Bouillabaisse” ou “Brioche, castanha e jeropiga”. O menu único custa €39 e há duas harmonizações vínicas possíveis. A primeira custa €20; a segunda, composta por vinhos raros, fica por €35. Quem se atreve?
Rua do Morgado Mateus, 49, Porto. Tel. 914474068

Esporão no Porto
Primeiro projeto gastronómico do Esporão fora da zona de conforto do Alentejo este espaço é, mais do que um restaurante, um espaço para “encurtar distâncias” e descobrir a identidade de uma marca que não tem parado de crescer para Norte. Azeite, mas também cerveja - artesanal - e, claro vinhos com o selo Esporão harmonizam com propostas de partilha de inspiração tradicional, onde o produto, região e estação são elementos centrais. Escabeche de Coelho, Pão Torrado (€6); Moelas de Pato Guisadas em Molho de Tomate (€6,5) ou Presa de Porco Preto, Batata Assada e Puré de Aipo (€15,5) são boas apostas. Além de restaurante, funciona como espaço de workshops e loja, com provas de vinhos, azeites e cervejas.
Rua do Almada, 501, Porto. Tel. 220190153

Este artigo foi publicado originalmente na edição do Expresso Diário de dia 2 de janeiro de 2020.

Acompanhe o Boa Cama Boa Mesa no Facebook, no Instagram e no Twitter!