Boa Cama, Boa Mesa

Siga-nos

Perfil

Perfil

Boa Mesa

O Galito: os sabores alentejanos da Dona Gertrudes são uma verdadeira relíquia

Antes, a romaria dirigia-se à rua Fonte, mas o tamanho da sala e da cozinha já careciam de espaço para dar resposta a clientes ávidos da comida tradicional alentejana. A partir de 2014, os epicuristas passaram a rumar à rua Adelaide Cadete, onde o legado de uma cozinheira de mão cheia permanece intacto.

Nas paredes do restaurante O Galito permanecem as fotografias, os recortes de jornais e as distinções de outrora. Memórias de um tempo preservado pelo património de uma família, com raízes na aldeia da Serra d’Ossa, na vila de Redondo, Alentejo, que por aqui se instalou há três décadas. À autora, Dona Gertrudes, é reconhecida tão deleitosa obra gastronómica tida como o compêndio elementar de uma vida dedicada a conquistar estômago e coração dos apreciadores de refeições prolongadas à mesa.

Hoje, permanece o rigor na qualidade do produto e os preciosos sabores da cozinha alentejana graças à destreza de Ileana, cozinheira na casa há mais de uma década, e aos dotes culinários de Henrique Galito, filho de Dona Gertrudes e atual proprietário do restaurante. Por isso, basta que ambos sigam esse repositório de valiosas receitas alentejanas, para que tudo fique no ponto.

Salada de coelho à São Cristóvão (€3,80), Salada de pimentos assados (€3,80), Salada de favas com cachoeira (€3,80), Salada de grão com bacalhau (€3,80) são as entradas dadas a escolher. A opção torna-se difícil se acrescentarmos os Ovos com tomate (€4,50) e os Ovos com farinheira (€6,50) ou a Linguiça frita (€5), a Linguiça grelhada (€5), a Farinheira frita (€5) ou a Paiola de porco preto (€7), o Queijo de ovelha alentejano (€7), o Queijo de ovelha assado no forno (€5,50), o Queijo de ovelha fatiado de Serpa (€8,5) e, como não poderia deixar de ser, a Cabeça de Xara (€6) ou os Torresmos (€6).

Pondere entre a Açorda de bacalhau à Galito (€13,50), a Sopa de cação à Galito (€15) e a Sopa de tomate com garoupa e ovo escalfado (€17,50).

Guarde tempo e espaço para os pratos confecionados ao momento, como as Migas de hortelã com carne do alguidar (€13,50), as Migas à alentejana com entrecosto de porco frito (€13,50) e as Migas de batata com lombo de porco frito (€15). As Migas de espargos com entrecosto frito (€15) ou com lombo de porco frito (€17) são preparadas “só nos tempos dos espargos”, assegura Henrique Galito, ou seja, entre janeiro e março.

“Agora estamos na altura da caça”, continua o atual proprietário do restaurante. A probabilidade de comer Coelho bravo guisado com batata frita à Galito (€15), Perdiz estufada à Galito com batata frita (€26), Perdiz frita à Galito com batata frita (€26) ou Perdiz de escabeche à Dona Gertrudes (€27) é, por essa razão, bem alta. Os Pezinhos de porco de coentrada (€13,50) são, igualmente, uma especialidade a não perder entre as que vão alternando na carta fixada diariamente, para evitar repetições.

Há, ainda, os pratos elaborados por encomenda. Galo capão assado no forno à Galito (€30/kg), Empada de perdiz em massa folhada (€35 para duas pessoas), Pargo assado no forno à Galito (€55), Dourada assada no forno à Galito (€55/kg) e Robalo assado no forno à Galito (€60/kg) são preparados especialmente pelo proprietário, para grupos de cinco a seus pessoas e desde que solicitados com a antecedência de dois dias.

Consulte a carta de vinhos constituída por quase duas centenas de referências vínicas. A maioria é proveniente do Alentejo, tal como comprova, igualmente, a garrafeira envidraçada desta casa, mas também as há do Douro, da Bairrada ou do Dão.

Aos prazeres da comida somam-se as sobremesas, com os doces conventuais alentejanos, como o Tecolameco (€5), a Sericaia com ameixa de Elvas (€5), o Pão de rala (€5,5) e a Encharcada (€5,5). A Torta de canela (€4,5), o Toucinho do céu (€5) e o Fidaldo (€5,5) são as sugestões a ponderar, mas raros são aqueles que resistem ao Pudim da Dona Gertrudes (€4) cuja feitura está no segredo dos deuses. O Queijo de ovelha (€8,5) e o Queijo de Serpa fatiado (€12), ambos servidos com doce de abóbora ou cereja também estão incluídos na carta, assim como a fruta (a partir de €2,5).

O restaurante O Galito (rua Adelaide Cabete, 7, Lisboa. Tel. 217111088), o eterno clássico da cozinha alentejana na capital do país, está aberto de segunda-feira a sábado, das 12h00 às 15h30 e das 19h30 às 22h00.

Acompanhe o Boa Cama Boa Mesa no Facebook e no Instagram!