Boa Cama, Boa Mesa

Siga-nos

Perfil

Perfil

Boa Mesa

Restaurante Geographia: As rotas da gastronomia lusófona, um ano depois...

  • 333

O ambiente é de festa. Reunidos no restaurante Geographia, em Lisboa, clientes, amigos e jornalistas circulam com vinhos e cocktails Gin & Jinha, entre as salas de estilo colonial e a entrada. Ao som da morna, conhecem-se e satisfazem curiosidades sobre a comida e o espaço, no primeiro aniversário da casa. Traçando linhas imaginárias até aos países de origem dos presentes e aos destinos das suas viagens, partia-se de Portugal e chegava-se, pelo menos, a Israel, a Cabo Verde, à Argentina, Peru, Colômbia e Indonésia.

A essência do Geographia reside nessa ideia de troca: de saberes, técnicas e sabores, mas centrada na cozinha dos países da lusofonia, nas influências gastronómicas que os portugueses deixaram e trouxeram dos territórios além-mar. Comida de fusão, “que fala português” e sem ser “de saudade”, explica Ruben Obadia, que divide a sociedade com Miguel Júdice e Lucyna Szymanska. Perseguem-se experiências globais, que resultem da “comunicação” entre pratos tradicionais portugueses e receitas de outros países com a mesma língua.

Sobressaem os mapas e a floresta tropical nas paredes, o macaco a trepar a coluna e, sobretudo, o rinoceronte Ulisses, símbolo do “cruzamento de culturas”. Albrecht Dürer desenhou este animal, que foi oferecido pelo Sultão do Gujarat ao governador da Índia portuguesa, Afonso de Albuquerque, e que o enviou depois ao rei Dom Manuel I. Por sua vez, o rei enviou o rinoceronte como um presente para o papa Leão X, em Roma, mas o animal afogou-se quando o navio se afundou na costa da Itália.

Já que o início foi a bebida, conheça os restantes cocktails de assinatura (€7). Há uma caipirinha com nome de romance e novela brasileira, Gabriela Cravo e Canela. O Groguito, de inspiração cabo verdiana e a Lassi de banana, de toque goês. Daqui parta logo para as entradas, onde se destaca o “macaense” Dim Sum de minchi com molho de soja e mel (€8), “A sapateira que queria ser casquinha de siri”, onde Portugal encontra o Brasil, e duas propostas vegetarianas: Bojés com chutney de coentros e hortelã, de Goa, e a Salada morna timorense (€10).

Nos peixes há sugestões que não se ignoram, como o Caril de camarão à goesa com arroz de côco (€14), o Escondidinho de puré de mandioca e leite de côco com bacalhau, a angolana Moamba de peixe com quiabo e óleo de palma (€14) ou mesmo o Atum com xerém cabo-verdiano e a matapa, que é um prato de origem moçambicana com leite de côco e amendoim, e demais atrativos.

Quanto às propostas de carne, comece pelo Vindaloo de porco (€14) – também conhecido por Vindalho -, ou seja, porco marinado em vinha d'alhos, a expressão que está na origem da contração no nome do prato. A marinada vinha d'alho foi levada para Goa pelos marinheiros portugueses, nos Descobrimentos, e depois adaptada com malaguetas e especiarias. A Galinha do campo ao caril de amendoim, de Moçambique, e a brasileira Picanha maturada com baião de dois, estão entre as alternativas.

Nas sobremesas, sorria em bom português com o “Melhor pão-de-ló do Universo com coulis de frutos vermelhos”, e aceite sem demoras a Bebinca de 7 camadas com gelado de baunilha ou a Mousse de chocolate de São Tomé com o seu salame (€6). O Geographia (Rua do Conde, 1, Lisboa. Tel. 213960036) serve também o menu “Viagem à volta do mundo que fala português”, com um custo de €30 (mínimo duas pessoas). Aos sábados há rodízio de feijoada à brasileira (€15).

Duas sugestões de blends exclusivos, para terminar. O Chá Boa Esperança, da Companhia Portugueza do Chá, é feito com rooibos da Cidade do Cabo (da Boa Esperança), erva-mate do Brasil e erva-príncipe. O Café Geographia leva grãos selecionados em pequenos produtores e depois torrados a lenha da forma tradicional. Um café que também “fala português”, com grãos vindos de Timor, São Tomé, Cabo Verde, Brasil (Arábica) e Angola (Robusta).

O restaurante Geographia (Rua do Conde, 1, Lisboa. Tel. 213960036) funciona de segunda-feira a sábado, das 12h30 às 15h00 e das 19h30 às 23h30.

Acompanhe o Boa Cama Boa Mesa no Facebook e no Instagram!