Boa Cama, Boa Mesa

Siga-nos

Perfil

Perfil

Boa Mesa

Horta - Páteo Alfacinha: sardinha assada com vista sobre Lisboa

  • 333

Divulgacao

Quando o calor aperta, há coisas que fazem parte da tradição. Cheirar um manjerico, comer uma sardinhada e aproveitar os santos populares na cidade de Lisboa são apenas algumas delas. Quando o sol de verão inunda a capital, é sinónimo de abertura do restaurante Horta, do Páteo Alfacinha. Este ano a tradição volta a ser o que era e a sala com uma das melhores vistas sobre a cidade já voltou a abrir portas.

As especialidades da gastronomia portuguesa e ainda os grelhados no carvão são o ponto forte da carta do restaurante A Horta, no Páteo Alfacinha, um espaço que funciona apenas nos meses de maior calor. Sob uma tradicional latada, que dá sombra nas horas de maior calor, é um espaço perfeito para quem quer celebrar os santos populares longe da confusão dos bairros tradicionais. As novidades da carta passam pelos grelhados e pela filosofia da partilha, afinal de contas, se assim não fosse, não se celebrava o espírito de Santo António.

Para dar conforto ao estômago, o restaurante A Horta, no Páteo Alfacinha sugere que se comece com um sempre aconchegante caldo verde com chouriço tradicional (€2,50) ou, caso o calor seja muito, com um gaspacho à Alentejana (€2,50), com uma brunoise de pepino, tomate e pimentos da Horta. Na secção “Petisque e Partilhe” há chouriço de Porco Preto assado (€3,50), presunto Bolota Pata Negra (€9,90) vindo de um produtor regional Alentejano e um imperdível Pica-Pau de Marisco (€15), feito com vieiras, camarão e lingueirão salteados com cebola, tomate e ervas da Horta. Os amantes da carne vão ficar satisfeitos com os Mini-Preguinhos de Bochecha de Porco Preto (€8), feitos com novilho de origem sul americana ou com vitela branca.

Da “Grelha para a Mesa”, no restaurante A Horta, no Páteo Alfacinha, saem o Camarão Tigre (€68/KG), o Carabineiro (€89/KG), o Lingueirão (€9) e a Sardinha, vendida a peso e de acordo com o preço de mercado, os Carapaus (€10), a Posta de Bacalhau (€11), a Codorniz (€4,50), o Piano de Porco Bísaro (€11), o Ribeye Novilho (€12), o Costeletão de Novilho (€14) e as Tiras de Vitela (€11). Há combinados, como o Prato de Mariscos da Horta, para duas pessoas, com uma seleção de pica-pau de marisco, lingueirão, camarão tigre e carabineiro grelhados no carvão, e pão saloio tostado com azeite virgem e orégãos (€57). Há igualmente uma proposta para duas pessoas de um Misto de Carnes da Horta que inclui bochechas de porco preto confitadas, tiras de vitela branca, ribeye de novilho e codornizes grelhadas (€32).



Para terminar a refeição, o restaurante A Horta, no Páteo Alfacinha sugere Bolo de Chocolate Cremoso com chocolate belga (€3,50), o “Pudim Abade Priscos tradicionalmente Português” ((€3,50), um “Parfait de Tangerina refrescante e diferente” (€3,50) e um “Arroz Doce cremoso como deve ser”(€3,50). Deve sempre ponderar terminar a refeição com os gelados Artesanais Casa do Marquês, de Chocolate, Baunilha, Morango, Papaia com Hortelã, Abade Priscos, Ananás com Manjericão ou Cheesecake. Os mais gulosos podem fazer uma “Degustação de Gelados”, até 4 pessoas por €18.

Com mais de 35 anos de existência, o Páteo Alfacinha (Rua do Guarda Joias, 44, Lisboa. Tel. 213 642 171) nasceu de um sonho de Vitor Seijo, com o intuito de perpetuar a memória das antigas artes e ofícios de Lisboa e as suas tradições seculares. Além do restaurante A Horta tem uma barbearia, uma taberna, uma padaria, um antiquário, casas antigas decoradas a preceito e até uma capela. Alguns dos espaços no interior do Páteo Alfacinha são dinamizados diariamente por ateliers e startups, que encontraram o espaço ideal para as suas atividades.

 Acompanhe o Boa Cama Boa Mesa no Facebook e no Instagram!