Boa Cama, Boa Mesa

Siga-nos

Perfil

Perfil

Boa Mesa

Geographia: O restaurante que é uma aula de sabores portugueses pelo mundo

  • 333

À mesa são servidos pratos de culturas que falam a nossa língua. Há, ainda, outros resultantes das influências deixadas e trazidas durante o período dos Descobrimentos. A própria grafia do nome evoca essa mesma época em que as trocas comerciais e as relações económicas, políticas e sociais incrementadas, pelos portugueses, mundo fora, estavam no seu auge.



A ideia é de dois amigos e sócios neste projeto: o antigo jornalista Ruben Obadia e o empresário Miguel Júdice. São apaixonados por viagens e pela História de Portugal. Não é, portanto, por acaso que a sala localizada à entrada – a chamada Sala dos Mapas – tenha alguns mapas antigos a decorar o espaço. A ambos juntou-se a terceira sócia: Lucyna Szymanska. A responsável pela D’Vision, uma das maiores agências de modelos da Polónia, ficou com a missão de cuidar da decoração descontraída, com o macaco “instalado” na sala, junto ao bar, a peça da autoria da ONG Queniana Ocean Sole, na Sala da Selva, a mais reservada do restaurante.

A figura central do Geographia é Ulisses, de Albrecht Dürer, o rinoceronte que se tornou símbolo da nossa História quando é oferecido pelo sultão do Gujarat a Afonso de Albuquerque, vice-rei da Índia portuguesa que, por sua vez, enviou ao rei D. Manuel I e, este, resolve ofertá-lo ao papa Leão X.



História à parte, quem não se lembra de “Gabriela, Cravo e Canela”? A telenovela dos anos 1970, baseada no romance do escritor brasileiro Jorge Amado é, no Geographia, homenageada com o cocktail Caipirinha Gabriela Cravo e Canela (€6). O Grojito (€6) consiste na mistura de mojito com grogue de castanha, de Cabo Verde, enquanto de Goa trouxeram Lassi de banana e gengibre (€5). Aqui começa a descoberta dos sabores, reunidos pelos sócios e identificados, na carta, com o respetivo país de origem.

Das seis propostas de entradas, o destaque vai para os Dim Sum de minchi com molho de pimentos doces (€6,5), uma espécie de gyozas recheados com carne picada e molho de soja tradicionais da cozinha macaense; os Bogés com chutney de coentros e hortelã (€6), feitos com cebola frita em farinha de grão, vêm de Goa; e a Salada morna timorense (€7), com frango, batata-doce, abóbora, grão, amêndoa, banana e laranja.

A tradição dos pratos de peixe prossegue com a constante mostra de receitas portuguesas, de países de língua portuguesa ou da fusão de culturas sem que a confusão se instale no prato. Pelo contrário, são os sabores de cada receita, os protagonistas, do princípio ao fim, da refeição. Experimente o Caril de camarão à Goesa e arroz de coco (€14), de Goa, a Moamba de peixe (€13), de Angola, ou o nosso Polvo grelhado com grão-de-bico, batata doce, milho bebé e grelos (€17), entre as cinco sugestões da cozinha.



Das carnes, outra lista com cinco pratos, recomenda-se a Vindaloo de porco preto com cuscuz nordestino (€14), com porco marinado na nossa “vinha d’alhos”, farinha de milho, vegetais. A Picanha maturada com baião de dois e mandioca frita (€16), onde a carne de vaca é acompanhada por arroz de feijão manteiga, bacon e carne de sol, e a Galinha do campo ao caril de amendoim (€14), de Moçambique, são outras opções a considerar.

Termine a refeição com uma das sete sobremesas da carta. O Quindim com sorvete de caipirinha (€6), do Brasil, a Bebinca de 7 camadas com gelado de baunilha (€6,5), de Goa, e a Portokal (€5), com laranja, azeite virgem DOP e canela em pó na sua composição são, talvez, as mais atrativas, mas a Mousse de chocolate de São Tomé com o seu salame (€5) jamais poderá ser posta de parte.



Prolongue esta viagem na companhia de um dos vinhos da respetiva carta vínica, onde constam, sobretudo, referências de pequenos produtores nacionais.

Da já referida fusão, é de salientar o Café Geographia (€1,5). Este contém grãos provenientes de Timor, São Tomé, Cabo Verde, Brasil e Angola, os quais são, depois torrados em forno a lenha, resultando num blend feito em exclusivo para o restaurante. Ou, se preferir, finalize a refeição com o Chá “Boa Esperança” (€3), de roibos, da Cidade do Cabo, erva-mate, do Brasil, e erva-príncipe.

O restaurante Geographia (Rua do Conde, 1, Lisboa. Tel. 213960036) abre de segunda-feira a sábado, das 12h30 às 15h00 e das 19h30 às 23h30.

Acompanhe o Boa Cama Boa Mesa no Facebook e no Instagram!