Boa Cama

Dá Licença: o retiro no Alentejo que é uma fusão arrebatadora entre natureza e arquitetura

Dá Licença - My Pool Suite
Francisco Nogueira

Boutique hotel situado em Estremoz, criado por dois estetas, conhecedores e colecionadores de arte, Dá Licença, premiado com uma Chave de Prata, em 2020, é um lugar raro, esculpido meticulosamente com o mármore da região.

Dora Troncão

Jornalista

À chegada ao hotel, localizado no Outeiro das Freiras, a 7 km de Estremoz, invadem-nos os perfumes do campo. Percorre-se um pequeno caminho marcado por placas de mármore branco e ladeado por rosmaninho. Depois do check-in, ao entardecer, o aroma a flores de laranjeira parece ganhar força e paira no jardim polvilhado de “arroz de mármore” junto à piscina em forma de lua cheia. Basta abrir as portas de acesso aos terraços dos quartos Sky Cube e Moon Cube para ver e sentir esta fusão arrebatadora entre natureza e arquitetura deste boutique hotel que responde pelo nome, simples, mas convidativo, de Dá Licença.

Dá Licença - Moon Cube
Francisco Nogueira

Foi óbvio para os proprietários, Franck Laigneau e Vítor Borges, que, estando localizado em Estremoz, o projeto tinha de ter uma forte ligação ao mármore. Pediram para esculpir lavatórios manualmente, assim como mesas de apoio, desenhadas pelos próprios, e magníficas banheiras ganharam forma no local, depois de os blocos de mármore serem colocados na zona onde nasceriam duas das cinco suites generosas (entre 50 m2 a 180 m2), The Loft e The Rock. Destaca-se no The Loft a possibilidade de ver cinema num projetor deitado na cama, bastando requisitar um filme no momento. Os jogos de sombra e de luz são constantes, tanto no interior como no exterior dos três edifícios por onde se distribuem as zonas sociais, as cinco suites e quatro quartos (€300).

Dá Licença - Suite The Rock
Francisco Nogueira

Durante os cinco anos de reconstrução das casas da propriedade de 120 hectares, com vista para a Serra D’Ossa, castelos de Estremoz e Evoramonte, os proprietários estiveram sempre presentes, o que lhes possibilitou estudar bem o sol, o vento, mas também a posição de cada objeto de arte, criando ambientes com ligação à região e “lugares-surpresa” para os hóspedes, que cada dia descobrem novas peças para apreciar nas zonas comuns, seja uma escultura, um quadro uma peça de cerâmica ou um livro. É possível diariamente escolher onde tomar pequeno-almoço ou jantar, por exemplo, se na biblioteca luminosa, a olhar o campo, ao ar livre, ou num recanto interior junto a uma escultura inusitada ao som de música ambiente criteriosamente selecionada.

Dá Licença, em Estremoz
Francisco Nogueira

Além da natureza e da arquitetura, um terceiro eixo, de grande relevo, completa o conceito idealizado por estes dois homens, que fizeram carreira no luxo, a arte. Vítor Borges dirigiu o departamento de seda da Hermès. Já Franck Lagneau foi proprietário de uma galeria com o respetivo nome, na rive gauche, em Paris, dedicada ao Jugendstil (vertente germano-nórdica da Arte Nova). Ambos passaram por experiências como viver num apartamento, em Paris, com menos de 50 m2 ou numa casa na província da Normandia, onde aprenderam mais sobre arquitetura paisagística. Foi o desejo de maior contacto com a natureza, mas também de grandes espaços, tanto exteriores como interiores, que levaram à escolha deste local em Estremoz para implementar o projeto de uma vida.

Dá Licença - Sunset Suite
Francisco Nogueira

O cuidado com a natureza e jardins acontece em toda a propriedade, seguindo por um passadiço, encontram-se figueiras, mas também algodoeiros, por exemplo, um tanque de água até chegar às suites Sky Pool e My Pool, ambas com piscinas privadas, uma no terraço e outra no piso térreo respetivamente. O Dá Licença tem ainda a suite Sunset, com vista 360º para o campo e um terraço privado que convida ao romantismo.

Dá Licenca - Art gallery

Para quem desejar um banho suplementar de cultura, o antigo lagar da propriedade onde a comunidade religiosa do Convento de Estremoz tinha uma exploração agrícola até aos anos 80, foi reconstruído e convertido em galeria de arte privada para os hóspedes, focando os estilos preferidos de Franck Laigneau, o Jugendstil, mas também o Antroposófico, corrente de arte dos anos 20 que influenciou a agricultura e motivou a biodinâmica. Daí o mobiliário como camas e guarda-fatos, com geometrias contrastantes, entre curvas e ângulos afiados, além de relevos ligados à natureza. Juntamente com os lençóis de linho, o piso radiante e os terraços privados ladeados de corta-ventos de mármore são exemplos do especial cuidado com os pormenores neste alojamento.

Dá Licença - Zona Social
Francisco Nogueira

Há ainda que referir o Brazier, um quarto com braseira exterior para admirar os céus do Alentejo à volta da fogueira e, no edifício principal, um quarto individual de estilo minimalista, My Bed. O projeto de arquitetura do Dá Licença é da autoria do ateliê local Procale.

No momento da reserva é oferecida aos hóspedes a possibilidade de jantar um menu, composto por entrada, prato e sobremesa (€40), preparado por Vítor Borges, que finalmente tem oportunidade de se dedicar à cozinha, um interesse de outros tempos que acabou por não seguir profissionalmente, mas no qual mostra talento e dedicação.

Dá Licença
Francisco Nogueira

A estadia no Dá Licença (Outeiro das Freiras, Santo Estêvão, Estremoz. Tel. 962950540), premiado em 2020 com uma Chave de Prata, pelo guia Boa Cama Boa Mesa tem de ser obrigatoriamente de pelo menos duas noites para usufruir do espaço sem pressas. Tudo neste retiro no interior do Alentejo parece criado com a delicadeza de uma raríssima obra de arte, que de tão valiosa é quase utópica.

Franck Laigneau e Vítor Borges
Isadora Faustino

Acompanhe o Boa Cama Boa Mesa no Facebook, no Instagram e no Twitter!