Boa Cama, Boa Mesa

Siga-nos

Perfil

Perfil

Boa Cama

Hotel Rural da Freita: Sossego na montanha

Tem tudo para dar certo. A paz para quem pretende “desligar” do stress, a proximidade no atendimento, o contacto com a natureza e a beleza da Serra da Freita, servindo de cenário a tudo isso. Depois do “bom feeling” que é desbravar o recorte montanhoso, parando a cada cinco minutos para fotografar a paisagem e os animais, anteve-se a maravilha que será dormir num lugar ainda tão preservado.

O Hotel Rural da Freita abriu em abril de 2018 e é a nova “promessa” da serra. Projeto familiar, feito por pessoas da terra, este três estrelas faz-se valer do que, por vezes, é o mais importante: a simplicidade. De facto, para excessos (neste caso, de exuberância natural) está ali a envolvente. Seria preciso, apenas, deixá-la “brilhar” e a isso juntar o conforto dos sofás, dos colchões. E da simpatia, claro.
Estão disponíveis dez quartos (seis duplos e quatro twins, desde €50), todos com wc privado e um com kitchenette. Cinco quartos gozam de uma magnífica vista para a serra... E nem precisamos de muito mais! Os nomes são alusivos aos geosítios que tornam a Serra da Freita um local especial, como as Pedras Parideiras, o Detrelo da Malhada, os Viveiros da Granja e o Bosque do Vidoeiro. Está no meio da serra, mas nem por isso deixa de ter acesso a TV, ao wifi, minibar e ar condicionado.

Ao balcão, na receção, identificam-se os “Pinguças”, licores produzidos em Alvarenga a partir de uma base de aguardente, mas com sabor a maracujá, frutos vermelhos, canela e a receita da “Avó Micas”. A propósito de sabores, na sala dos pequenos-almoços servem-se croissants, fruta fresca da região, tostas, compotas, mel e sumos naturais. Admire as fotos nas paredes e, se ainda não for hora de sair, beba um café e descanse nos sofás da sala comum (a lareira aquece os dias frios).
Aproveite, depois, o que a serra tem para oferecer. O Hotel Rural da Freita (Mizarela, Serra da Freita. Tel.256130993) fica ao lado da Frecha da Mizarela, a maior queda de água de Portugal Continental, “formada a partir da erosão diferencial provocada pela dinâmica do Rio Caima nos xistos e granitos”. Pode alugar uma bicicleta, fazer percursos pedestres, rafting, canyoning, escalada, passeios de jipe pela serra e visitas guiadas aos geosítios.

O passeio nos premiados Passadiços do Paiva é obrigatório e lembre-se que Arouca vai ter “a maior ponte pedonal suspensa do mundo”. Sugerem-se, também, visitas ao Centro de Interpretação das Pedras Parideiras, importante local do Geopark Arouca, e ao Museu das Trilobites - Centro de Interpretação e Investigação Geológica de Canelas. Termine o dia a mais de 1000 metros de altura, no piso panorâmico do Radar Meteorológico de Arouca: além do planalto da Freita, em dias limpos alcança-se um horizonte desde a Figueira da Foz até ao Grande Porto. E ainda as montanhas do Montemuro, Estrela ou Caramulo. Fique na zona até ao pôr-do-sol...

Acompanhe o Boa Cama Boa Mesa no Facebook e no Instagram!