Boa Cama, Boa Mesa

Siga-nos

Perfil

Perfil

Boa Cama

Pousada do Crato, Flor da Rosa: Imaginário medieval

  • 333
1 / 24

2 / 24

3 / 24

4 / 24

5 / 24

6 / 24

7 / 24

8 / 24

9 / 24

10 / 24

11 / 24

12 / 24

13 / 24

14 / 24

15 / 24

16 / 24

17 / 24

18 / 24

19 / 24

20 / 24

21 / 24

22 / 24

23 / 24

24 / 24

A celebrar a maioridade, a pousada deslumbra ao primeiro olhar e guarda segredos e recantos para descobrir sem pressas.

No dia 2 de setembro de 2013, a Pousada do Crato, Flor da Rosa atinge a maioridade. 18 anos depois da sua (polémica) abertura, este continua a ser um espaço de história, beleza, magia e… design.

Recuando muito no calendário, é em meados do século XIV que começa a construção do Mosteiro de Santa Maria da Flor da Rosa, nos arredores do Crato, por ordem do frei Álvaro Gonçalves Pereira, Grão-prior da Ordem do Hospital, cujos cavaleiros “hospitalários” foram fundamentais na Reconquista. Para a nossa história, é um dos filhos deste prior que vai ganhar lugar cativo nos livros e na memória: D. Nuno Alvares Pereira, o Condestável, que ali terá nascido. Desses tempos, ainda perigosos, sobreviveram diversas áreas do original mosteiro, mais defensivo do que contemplativo. Apesar de várias obras de remodelação e a própria derrocada de grande parte do edifício, a raiz medieval e a sua estrutura gótica mantiveram-se. Foi nos anos 40 do século passado que se iniciou a recuperação do mosteiro, que era também castelo e paço ducal, mas a mais polémica intervenção só começou com a visão do arquiteto Carrilho da Graça, que teve a responsabilidade de transformar o espaço numa unidade de turismo de excelência.

Regressamos a setembro, agora do ano da graça de 1995, data da inauguração da Pousada do Crato, Flor da Rosa, já com uma ala nova, que acomoda a maioria dos 24 quartos e suites, uma piscina e outras novidades. Destacam-se, a instalação da receção no antigo refeitório dos monges, o espaço do restaurante e a recriação do interior da grande torre para receber três suites de luxo.

A vida no castelo

Pela localização, resguardada na pacata aldeia de Flor da Rosa, a chegada à pousada é um momento de grande magia, seja à luz quente do Alentejo, seja sob o céu estrelado, em que a iluminação do edifício faz sonhar com reis e rainhas, príncipes e princesas e, claro, corajosos cavaleiros de armadura reluzente e espada em punho. Entre-se, pois, neste mundo imaginário de vida palaciana, circule-se pelo interior de pedra (explique-se que existem zonas sob a responsabilidade das Pousadas de Portugal outras na dependência do IGESPAR e Direção Regional da Cultura do Alentejo, estas últimas já merecedoras de alguns reparos, nomeadamente, o centro do claustro, em cujo piso se avista a Cruz de Malta, herdeira dos Hospitalários.

Por mais voltas que se possam dar dentro da Pousada do Crato, Flor da Rosa, existe uma atração automática pela grande Torre do Paço e pelos segredos que possa guardar. Existe também aquela réstia de esperança de ver uma princesa lá no alto, necessitada de auxílio, para que o quadro romântico seja perfeito. Na verdade, nesta torre estão guardados outros tesouros: as magníficas suites, em pedra, algumas tapeçarias, uma vista desafogada, com uma ou outra cegonha a voar ao longe, e terraços resguardados, verdadeiros solários em alternativa à zona de piscina. Destaca-se a suite 401, que é o quarto mais emblemático da pousada e das Pousadas de Portugal. Reza a história, foi aqui que nasceu D. Nuno Alvares Pereira, o Condestável do Reino de Portugal.

Deixe-se o aviso, que nem todos os quartos da ala antiga têm estas condições, alguns são interiores, com discretas janelas para a igreja ou passagem (quase secreta) para o claustro superior. Ainda assim, é nestes alojamentos que o imaginário ganha espaço, reforçado por uma cama de dossel ou por uma lareira (apenas decorativa).

Ala nova

A exaltação das áreas antigas da pousada não desmerece as mais recentes. Pelo contrário. Ao recuar 18 anos, em desenvolvimento e mentalidades, é fácil perceber, em primeiro lugar, o choque para as populações locais, e em segundo a visão de futuro, das obras assinadas por Carrilho da Graça, em que o design se uniu à necessidade de oferecer a cada quarto ou zona comum, todas as condições “naturais” da vida moderna, do ar condicionado à instalação elétrica. Atente-se num simples pormenor, que pode ser apreciado nos quartos da ala nova. Na varanda, recostado nas cadeiras, o olhar é bloqueado pelas proteções de tal forma que é direcionado para o horizonte e para o céu puro do Alentejo. Nesta zona, com acesso quase direto à estilizada piscina, estão localizados 16 quartos e um bar de apoio com esplanada. Tendo em conta o número total de quartos da Pousada do Crato, a piscina (com uma zona para crianças) é pequena, bem como a zona de espreguiçadeiras, complementada por uma pequena área de relva, e ajudada por meia dúzia de oliveiras, que ajudam a sombrear o calor tórrido do Alto Alentejo.

In & Out

Para quem deseja perpetuar o ambiente calmo deste antigo mosteiro, existe sempre a possibilidade de almoçar e jantar no restaurante da pousada, marcado pela pedra antiga e pelas janelas com vista para o jardim. Existem sugestões diárias do chefe e escolhas a partir da carta, que privilegia os sabores alentejanos, sem esquecer alguns pratos mais “internacionais”, tendo em conta uma clientela oriunda dos quatro cantos do mundo. Do que se provou, referências positivas para as Pataniscas de farinheira, nas entradas, e para o Lombete de porco preto (ibérico) e casadinhos alentejanos (batata aberta ao meio e recheada com uma pequena rodela de chouriço), nos principais. Na carta do restaurante da Pousada do Crato encontra ainda, entre outros, Pezinhos de coentrada, Favinhas suadas com enchidos regionais, Coentrada de cação em seu empadão de pão e Ensopado de borrego. A surpresa maior chegou na hora da sobremesa, servida em buffet no centro da sala: Tecolameco, um doce tradicional desta zona do Alentejo, mas aqui apresentado com uma cobertura de calda de açúcar e decorado com pérolas prateadas. Ainda assim e contas feitas é a oferta dos seus restaurantes, o reparo maior nas Pousadas de Portugal, mais ainda no Alentejo, com uma oferta variada, de qualidade e a preços mais convidativos.

Ao estar alojado na Pousada do Crato, Flor da Rosa, pode consultar as diversas atividades a realizar nesta região, aqui denominadas In & Out, consultar os parceiros na inicitiva Alentejo Original, ou consultar as sugestões da Câmara Municipal do Crato.

E Mais!

Alentejo Original: Experiências únicas nas Pousadas de Portugal!

 

*Este texto foi escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Acompanhe o escape no Facebook